Fundão

O concelho do Fundão situa-se na região centro de Portugal, no sopé da Serra da Gardunha, no planalto da Cova da Beira, compreendendo cerca de 30.000 habitantes. Destes, cerca de 10.000 vivem na cidade do Fundão.
O Fundão terá tido origem num povoado pré-romano, o castro S. Brás, em 1000 A.C., situado a 821 m de altura. Os castros, também apelidados de Castelos dos Mouros, eram centros habitacionais e de defesa, situados em pontos altos e estratégicos de domínio e controlo da planície.
A estrutura defensiva, já de difícil acessibilidade natural, dificultava as investidas do inimigo, principalmente dos Romanos.
A cidade do Fundão é reconhecida como núcleo urbano desde há mais de 8 séculos. Entre os séculos XVI e XVIII o Fundão viveu um dos períodos mais prósperos da sua história, aquando da expansão mercantil dos panos e da indústria dos lanifícios, a que não foi alheia a chegada, no final do século XV, de numerosas famílias judaicas de Espanha e, mais tarde, as iniciativas do Conde da Ericeira e do Marquês de Pombal que em 1764 aqui fundou uma Fábrica Real no edifício que hoje é a Câmara Municipal. No que toca à proveniência do nome “Fundão”, e segundo Alfredo da Cunha, o Topónimo da cidade, parece derivar do Latim fundanus, que significa propriedade, herdade.

Situado em território bastante fértil e rico em minerais (volfrâmio, estanho, chumbo e prata) por onde percorrem alguns afluentes do Rio Zêzere e onde o micro-clima é excelente para a agricultura, o concelho reúne as características ambientais propicias a uma produção agrícola de elevada qualidade. Merece destaque a  produção de fruta (cereja, pêssego), cereais, leguminosas e vinha.

cereja

Terra carregada de tradições, saberes e sabores, de que são testemunho duas das Aldeias Históricas de Portugal: Castelo Novo e Alpedrinha – marcos históricos que merecem ser visitados e recordados como uma memória que queremos ver preservada. Referência ainda para Janeiro de Cima – aldeia singular pela sua arquitectura rural de alvenaria de pedra de xisto e calhau solto. Para além deste valioso património arquitectónico também as magnificas paisagens naturais da Serra da Gardunha e de toda a região da Cova da Beira encantam pela tranquilidade das suas paisagens. Em freguesias como a Barroca e Janeiro de Cima existe, ainda, a possibilidade de observar algumas pinturas/gravuras rupestres com milhões de anos.

Podemos destacar os seguintes Pontos de Interesse a visitar no concelho do Fundão:

– Castelo de Castelo Novo (XII)
– Capela de Nossa Senhora da Luz
– Capela de São Francisco (sec. XVI)
– Palácio do Picadeiro (construção dos finais de setecentos)
– Capela de Nossa Senhora da Conceição e Santo António (século XVI)
– Convento de Santo António ou do Seixo (sec. XVI)
– Igreja Matriz (sec. XVIII)
– Igreja da Misericórdia (sec. XVII)

Em Outubro/Novembro acontece uma série de eventos culturais no Fundão (lista em actualização):

8 a 12 de Outubro Encontro Internacional de Coros.
9 a 12 Outubro – Espectáculo de 10º aniversário da ESTE (Estação Teatral da Beira Interior).
18 de Outubro – Projeto de Dança Participativa, integrado no Festival ContraDança da ASTA (Associação de Teatro e outras Danças).
20 a 23 Outubro  e 30 de Outubro a 1 de Novembro – Performances/espectáculos integrados no “Ciclo PASSAGEM”de João Bento.
4 a 8 de Novembro – 2º Ciclo de Cinema Português “Filmes Proibidos”.
Todos os Domingos – Actividades culturais no âmbito da rede “itinerâncias culturais” do Fundão.

Mais informações de eventos na Agenda Cultural do Fundão.